Musica: Vale tudo - Mag 1

Musica: Vale tudo – Mag

Kung-Fu

Arte milenar, discípulo fiel
Se atingir a faixa preta, já é cruel
Auto-defesa? Moleza
Vem que tem, ajuda do além
Buda, Zen
Se tentar se esforçar, pode conseguir
Hollywood, Chuck Norris, Bruce Lee
Karin Abdul Jabah, Jackie Chan
Já deve tá pra la do décimo Dan
Soco, chute, bastão, nuntchaco,
Forte, fraco, reflexo, rápido,
Cultura do oriente, o bagulho vem de longe
Usada como arma, criada por um monge
Não é de hoje, a parada tem história
No seu estilo não importa a vitória
Praticada de leste a oeste, norte-sul
Prazer, o meu nome é Kung-Fu.

Taekwondo

Baseada mais no estilo de luta moderna
Dá bastante soco, mas o forte é mais a perna
Interna,a força vem do pensamento
Externa,a crença vem do ensinamento
Equilíbrio, auto-controle, é necessário
Quem não conhece a arte, fala ao contrário. Otário!
Vem, sente a pressão!
Só com duas pernada e você já tá no chão!
Quebro tijolo com a cabeça, gelo com a canela,
Telha só com a faca da minha mão, sem sequela.
Pulo como águia, respeito é minha glória.
Reza pra não entrar a minha giratória.
História? Quem duvida sente a dor. (2x)
Prazer, o meu nome é Taekwondo.

Capoeira

Na senzala fui criada, já faz um tempo
Berimbau no lamento, arte de preto
‘Estilo Angola’ no talento regional
Inofensivo pra quem vê, mas na prática é fatal
Mortal, gingado, pulo de macaco
Briga de homem, com martelo eu te mato
Se é jogado na Bahia, tem mais essência
Lá tem roda todo dia, só na sequência
Contra mestre mais ligeiro que moleque novo
Arte da rua é, cultura do povo
Em tudo quanto é praça, eu posso ser jogada
Por mulher, criança. Sou praticada
Se passar no teste, tem batizado
Se for cabra da peste, ai… Tá abençoado
Pode até me ver cantando, mas eu não tô de bobeira
Prazer, o meu nome é Capoeira!

Jiu-Jítsu

Sou odiado por muitos, mas no Brasil eu fiz meu nome
Família Gracie, Wallid, sujeito homem
Wanderley, Minotauro, Pride, Japão
Reza pra mim, não te levar no chão
Estilo agressivo, ataque, defesa
Se desacreditar, vai ter uma surpresa
Mata-Leão cruel
Três tapa no tatame
Arm-lock, seu lock. Aqui não tem Van Damme
Faixa azul, orelha de cachorro pit-bull
Pra ganhar fama oportunista, briga na rua com qualquer um
Faz cara de valente, estilo bad boy
Mas não encara pela frente um ‘pró’, ‘é nós’
Usada por moleques, pra destruir a arte
Mas na nossa família, babaca não faz parte
Muito preparo e muito exercício
Prazer, o meu nome é Jiu-Jítsu.

Muay Thai

Minha canela é calejada, já da pra perceber
Não to pra brincadeira
Ai, quer pagar pra ver?
Cabeçada, cotovelo… chute na cara
Briga de louco, soco… Arte rara
Descalço eu fico livre, meu kick é bem melhor
Respeito eu sempre tive, de covarde eu tenho dó!
Só o pó, eu fico depois do treinamento, muita abdominal, condicionamento
Lamento no tatame, é só porrada
Eu só não aguento ver, parada errada
Você quer brigar na rua, faz mal o uso do golpe
Só pra ganhar fama, mulher, IBOPE
Lutador de araque, viciado em video game
Mas quando é de verdade vagabundo treme
Só não ginga na minha frente, ai
Que você cai
Prazer, o meu nome é o Muay Thai !

Boxe

Jeb, direto, cruzado, esquiva
Olhar de raposa, luta objetiva
Gingado de perna vacila e é nocaute
Derruba, me derruba ou tem mais um round
Mike Tyson, Maguila, Holyfield
O Popó da Bahia, aí garoto humilde
Na cadeia, em Las Vegas quem será que não gosta
Dez, vinte vai lá dobra a sua aposta
Vingativo, se me acertar eu dou o troco
Sorte que a luva diminui a potência do meu soco
Foi por pouco
O juiz, te deu vantagem
Três, dois, um vai pode abrir contagem
Aparece muito estilo, mas eu sempre to no top
A mídia me classifica como uma luta pop
Bate o gongo, minha trilha musical é o hip-hop
Prazer, meu nome é Boxe.